PALACIO DA PENA QUARTO DA RAINHA

My Image

VISITA VIRTUAL 360º


Claustro manuelino

A rainha D. Amélia habitou o piso nobre do Palácio da Pena, onde se encontravam os quartos que décadas antes o rei D. Fernando tinha definido para si e que veio a partilhar com a sua segunda esposa, a Condessa d’Edla. Tal como D. Carlos, D. Amélia tinha junto de si membros do seu séquito como o Veador (secretário) e uma ou duas Damas de Companhia. As galerias do claustro, na altura fechadas com janelas metálicas, garantiam a circulação por fora dos aposentos privados de cada um.
O Quarto da Rainha foi criado a partir das limitações impostas pela estrutura do antigo mosteiro hieronimita, esta divisão só veio a assumir a função de principal quarto de dormir após a morte da rainha D. Maria II, uma vez que até essa data os aposentos reais estavam planeados para o Torreão do Palácio Novo. O Quarto Principal acabaria, no entanto, por acolher as duas figuras que mais marcaram a história do palácio: o rei D. Fernando II (que o partilhou com a Condessa d’Edla) e a rainha D. Amélia. A decoração mudéjar das paredes e do teto deve-se ao interesse que o rei-artista desenvolvera pela tradição artística islâmica. Ainda antes da passagem de D. Fernando por Sevilha, em 1856, já este quarto ostentava um extenso padrão geométrico em estuque, com núcleo estrelado revestido a folha de ouro, que lembrava a luxuosa decoração dos palácios mouriscos do sul da Península Ibérica.


My Image
My Image