PALACIO DE QUELUZ CAPELA

My Image

VISITA VIRTUAL 360º

My Image
Planta localização da Capela

Pela sua posição de destaque no remate da fachada do Palácio voltada para a rua, foi um dos primeiros espaços construídos. A influência de Mafra é visível no uso de uma cupola em forma de bulbo na sua cobertura, Mateus Vicente foi discipulo e colaborador do principal Arquitecto de Mafra Frederico Ludovice. A talha dourada interior de Faria Logo ficou concluida em 1757. Ao estilo rococó previlegia a sugestão de opolência e utilização de materiais "nobres" recorrendo às pinturas de fingidos. As paredes e tectos foram revestidos de painéis de madeira e de tela sobre madeira, fingindo mármores. O retábulo da capela-mor representa Nª Srª da Conceição, de autoria de André Gonçalves (1687-1762) e ficou concluido em 1752. De sua autoria são também os paineis de ambos os altares laterais representando S.Francisco de Paula e a prisão de S.Pedro e S.Paulo, tendo o primeiro sido posterirmente substituído por um quadro de Pedro Alexandrino de Carvalho (1730-1810).
No coro alto entalhado e dourado regeram David Peres, Scarlatti e João Cordeiro da Silva, ali tendo igualmente cantado, no período áureo do Palácio, muitos artistas italianos, frequentemente acompanhados por elementos da Família Real.
Em dias de procissão, a parte exterior da Capela e demais fachadas do Palácio eram também enfeitadas com panos ricos, como foi o caso em Maio de 1784, por ocasião do transporte da imagem de Nossa Senhora do Cabo para a sua igreja no Cabo Espichel .



My Image
My Image